ISRAELENSE FORNECERÁ VEÍCULOS PARA A POLÍCIA FEDERAL

Brasília – A Polícia Federal brasileira selecionou o consórcio da Plasan Sasa e Atech, subsidiária da Embraer Defesa e Segurança, para fornecer uma solução única de quatro veículos para ajudar no combate ao crime organizado. A força-tarefa veicular será equipada com sistemas de Inteligência, Vigilância e Reconhecimento (ISR) avançados, possibilitando a capacidade proativa da PF no combate aos métodos cada vez mais sofisticados utilizados por organizações do crime organizado. O projeto é estimado em US$ 7,5 milhões.

De acordo com a empresa, a Plasan trabalhou com a Atech no desenvolvimento do perfil da missão e conceito de operação para a Polícia Federal brasileira. O resultado é uma força-tarefa, com base em vários tipos de veículos, realizando diferentes etapas da missão: ISR, Comando e Controle, resposta e intervenção rápida.

Os veículos blindados estão encobertos, assemelhando-se a veículos comuns. Possuem equipamentos sofisticados de vigilância, detecção e comunicação, bem como com um sistema de comando e controle.

A blindagem integrada permite a equipes e veículos maior capacidade de sobrevivência, com impressionante capacidade de manobra em todos os tipos de terrenos e climas. A comunicação segura entre os veículos simplifica as tarefas de comando e controle.

Os veículos blindados também possuem Plataforma de Integração com o Veículo (VIP), que permite a integração fácil e rápida de diferentes sensores e sistemas localizados dentro do veículo, fornecendo uma plataforma comum e padrão para diferentes sistemas.

Com a VIP, os sensores e sistemas do veículo compartilham informações e dados coletados pelos sensores. Essa solução está em conformidade com as mais recentes normas de Arquitetura Genérica de Veículos (GVA).

_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _

DISCURSO DE ENCERRAMENTO DO CURSO DE FORMAÇÃO DOS POLICIAIS LEGISLATIVOS FEDERAIS – 2014.

Oradora e autora do discurso: MAYRA BEÇON KUSSAKAWA

Brasilia-DF, 02 de Junho de 2014.

Ilustríssimo Diretor-geral do Senado Federal, senhor Luiz Fernando Bandeira de Mello,

Ilustríssimo Diretor da Secretaria de Polícia do Senado Federal, senhor Pedro Ricardo Araújo Carvalho,

Ilustríssimo Diretor-Adjunto da Secretaria de Polícia do Senado Federal, senhor Eduardo Antônio Alencar Brito,

Caríssimo Coordenador do Curso de Formação, senhor Antônio Vandir de Freitas Lima,

Queridos Familiares e amigos,
Caros colegas,

Bom dia!
Ao cruzar os portões deste Senado Federal e ingressar no primeiro curso de formação de policiais legislativos desta Casa, algumas questões pairavam sobre nós: afinal, o que é ser policial? O que é ser policial legislativo no Senado? E o que esperar para o futuro desta instituição policial? Depois desses dois meses de curso de formação, com todas as experiências e debates que nos foram proporcionados, começam a ser delineadas as respostas que ansiosamente buscamos.

Ser policial é atender a um chamado. É corresponder a uma vocação que ecoa intimamente em cada um daqueles que elege a atividade policial como, mais do que um meio de ganhar o pão, uma verdadeira filosofia de vida, um sacerdócio! Ser policial é ter a convicção de que é possível proteger a sociedade com força e retidão, sem abrir mão do dever de tratar nossos semelhantes com igual respeito e consideração. “Endurecer sem perder a ternura.”

Já ser policial legislativo desta instituição é ser tudo o que se espera de um bom policial, acrescido de um mister ainda mais relevante: proteger a entidade representativa do pacto federativo, o Senado! Se o papel fundamental desta Casa é assegurar a estabilidade das instituições nacionais, o papel da Polícia Legislativa é assegurar que o Senado possa cumprir com tranquilidade sua missão.
Garantir o bom funcionamento do Poder Legislativo no cumprimento de seus deveres constitucionais é assegurar o respeito ao princípio da separação de poderes, um dos pilares da República! Ser policial legislativo federal, portanto, é não medir esforços para garantir que todos que atuam na atividade fim desta Casa, a atividade legiferante, possam fazê-lo em sua plenitude e com total segurança.

E essa proteção deve estar acima de qualquer preferência política pessoal, isenta de qualquer ideologia alheia àquela compartilhada por esta corporação. Nossa atuação não deve se curvar a esse ou aquele indivíduo que detenha transitoriamente o poder, pois as pessoas passam, mas uma instituição forte é duradoura e é a essa instituição, o Senado, que devemos servir. Fazer isso é contribuir para tornar este país, verdadeiramente, um Estado Democrático de Direito, tal como vislumbrou Ulysses Guimarães na aurora da Constituição cidadã.

E o que esperar do futuro desta instituição policial? O anseio comum a todos é o de tornar a Polícia Legislativa do Senado Federal uma referência para qualquer outra instituição policial, firme no espírito fraterno que é próprio aos nossos colegas.

As pedras que encontramos no caminho não devem nos impedir de caminhar. É preciso batalhar por melhores condições de trabalho, sem mascarar nossas deficiências, mas olhando sempre o horizonte a frente e não o que já passou.

Grande passo já foi dado nesse sentido com a realização desse primeiro Curso de Formação de Policiais Legislativos do Senado Federal, que agora concluímos, um caminho certeiro de se chegar à devida valorização que almejamos para nossa Polícia.

Ter uma formação sólida, convergente com os valores compartilhados por esta Casa de Leis, é fundamental para o fortalecimento de nossa instituição policial, contribuindo para que todos a quem atendemos se identifiquem com nossa polícia ao saber que aqui protegemos, em última instância, a democracia!

Oportuno, então, agradecer a dedicação de todos que batalharam de alguma maneira para nossa formação como policiais legislativos, o que faço agora na pessoa do Diretor da Secretaria de Polícia, Pedro Ricardo Araújo Carvalho, e na pessoa do coordenador do curso, Antônio Vandir de Freitas Lima. É essa dedicação que faz a diferença e fortalece a nossa Polícia.

Esse agradecimento inclui, por óbvio, nossos instrutores. Cada um deles, ao dividir conosco seu conhecimento, deixou em nós uma parcela de suas experiências e de seu entusiasmo em bem realizar seu trabalho e foi, na mesma medida, renovado por nossas expectativas e nossa vontade de oxigenar. Os ensinamentos compartilhados tornaram-se nossas ferramentas de trabalho; e o clima de acolhimento com que fomos recebidos revela o quão sólido é (e deve continuar sendo) o vínculo que nos une e que nos torna mais fortes. Caros colegas, temos de fazer da irmandade nosso escudo e do conhecimento nossa arma!

Assim, vencida mais essa etapa, estamos agora preparados para ostentar, com responsabilidade, o distintivo e as insígnias dessa Polícia e orgulhosamente dizer: sou Policial Legislativo do Senado Federal.
Obrigada!

 

_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _


© Copyright 2008 Associação da Polícia do Congresso Nacional - APCN | Melhor visualizado em resolução de 1024px X 768px | Desenvolvido por HA-Hudson Araujo
Validated by HTML Validator